Eu encontrei alguém

Eu encontrei alguém

Venho conhecendo alguém. 

Após anos e anos entrando em um relacionamento furado atrás de outro resolvi dar um tempo e aí sim encontrei a pessoa perfeita pra mim. Engraçado, não é?

Quem diria que eu iria encontrar o amor ideal depois de tantas decepções.

[…]

Pois é, encontrei alguém que me ama acima de qualquer outra pessoa. Que me valoriza e põe meus planos em primeiro lugar. Alguém que vai me ajudar a realizar meus sonhos e traçar minhas metas.

[…]

Eu encontrei alguém que vai me amar de cabelos em pé, blusa velha surrada e olheiras na cara. Alguém que pira comigo, mas que tenta me acalmar lembrando as coisas boas da vida. Alguém que, com toda a certeza que há no mundo, nunca vai me abandonar nas piores horas; que não vai menosprezar minha dor; que vai julgar meus atos sim, mas vai ser sincero e me ajudar a melhorar.

Venho conhecendo a mim. 

E tudo o que jamais encontrei em outra pessoa, encontrei em mim. 

Uma imensidão de sentimentos e sonhos. 

 

Leia o texto completo aqui: Eu encontrei alguém

“Se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.”

“Se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.”

FullSizeRender
Quem aí já leu “Quem é você, Alasca?” do John Green?
John Green é o autor de “A culpa é das estrelas”; e “Quem é você, Alasca?” é o seu primeiro romance. Eu contei lá no blog, numa espécie de resenha, o que achei do livro e de seus personagens.
 
Pra acessar, clica aqui: http://www.suajulietacapuleto.com.br/
As incontáveis tentativas de ir.

As incontáveis tentativas de ir.

Em primeiro lugar, você deveria ler o texto ouvindo essa maravilhosa música: 

large (8)Acho que gosto de sentir dor, porque nada mais explica o fato de eu sentir a sua falta ao ponto de te procurar novamente mesmo que em relutância comigo mesma. Penso repetidas vezes no que você me disse aquele dia, com a sua voz ainda rouca depois de tanto gritar para mim, colocando o peso do mundo e da quebra de suas expectativas em meus ombros, como se eu fosse culpada pela imagem que criou de mim; como se eu fosse culpada por você ter se apaixonado por alguém que não era eu. “Você não é apenas insensível, como também desprezível, é uma pena que eu tenha notado tarde demais”, o que eu tinha feito àquele rapaz de tão ruim?

Não peguei em sua mão e o conduzi para a confusão que ele mesmo criou com a sua projeção de uma eu perfeita. E como naquela noite, quando você me ligou inúmeras vezes porquê não conseguia dormir e precisava reafirmar o seu ódio por mim – chegando a deixar a caixa postal cheia de mensagens -, e eu te atendi uma única vez, só pra te dizer que eu sempre fui uma bagunça e deixei claro as tantas vezes que você insistia em me colocar num pedestal ou agarrava-se à ideia que um dia eu iria mudar ‘como a água assim que se joga uma pedra, ela fica agitada mas uma hora ou outra se acalma’. [+]

Texto completo aqui: Sua Julieta Capuleto – As Incontáveis tentativas de ir.

Diário da Julieta – Vamos brincar de ser feliz?

Diário da Julieta – Vamos brincar de ser feliz?

foto: http://freeeeeefalllingg.tumblr.com/post/119759176851




Nos encontramos em comemoração, um enorme festejo por mais um passo na causa do amor; uma enorme festa de celebração, onde, como em toda festa, há os estraga prazeres, seguindo uma linha de invalidar o sentimento alheio, vem com o nariz empinado, peito estufado, jurando que a razão o cerca por todos os lados, dono da única verdade do mundo, capaz até de te criticar, sem preocupações se vai te acrescentar ou machucar em algo: os fiscais de sentimentos. Com toda a sua potencialidade, vêm trazendo as novas: é proibido ser feliz. É proibido fazer o que te diz respeito, é um absurdo você estar comemorando o grande passo bem sucedido da sua luta. Ora, se ele não pode ser feliz, por que outro alguém vai poder? Meu caro, só um toque, a felicidade alheia só dói na gente quando não somos felizes o suficiente. Quem é autossuficiente não tem tempo pra fiscalizar a vida alheia, preencha-se, ocupe-se, vá ser feliz.